“O povo deseja te coroar, ó Rainha!” Santuário da Divina Misericórdia celebra dia da Padroeira do Brasil.

Noticias da Paróquia

Ontem, 12 de outubro, quando a igreja de todo o Brasil, cantam louvores a Virgem da Conceição Aparecida, o Santuário da Divina Misericórdia, em Barro (CE), celebrou solenemente este dia prestando homenagens a Maria, coroando-a Rainha e Padroeira do Brasil. A santa missa foi presidida pelo pároco e reitor do santuário, Pe. José Cláudio, a celebração contou com toda a comunidade paroquial da sede e das comunidades e abriu o tríduo do co-padroeiro, São Geraldo Magela.

A liturgia celebrada ontem traz um caráter especial, com leituras e salmo que mostram a importância de Maria na história da humanidade, que sendo ponte para que o filho de Deus viesse ao mundo, auxiliou, também, nos milagres de seu filho. “Fazei o que ele vos disser!” (Jo 2,5) disse Maria aos que serviam nas bodas de Caná da Galileia. Tal qual também diz, insistentemente a nós, que façamos o que nos pede o seu filho. O evangelho de São João, nos mostra uma mãe que confia e um filho obediente. Jesus embora dizendo que não chegou a sua hora, por obediência a Maria, transforma água em vinho. O primeiro milagre de Jesus, o início de tudo, acontece por intercessão dela, e por Ela, todas as súplicas de seus filhos são ouvidas.

Em toda a história, Maria aparece em situações, onde o povo sedento de esperança e de paz, por sofrer as mazelas da humanidade. Assim aconteceu no Brasil. O povo Brasileiro sofria o período de escravidão e fome. Nossa Senhora aparece como luz durante a escuridão para libertar o seu povo.

Este ano comemoram-se 300 anos do dia em que as margens do rio Paraíba, três pobres pescadores, depois de exaustivas tentativas de pescarem, encontram algo inesperado. Eis que apareceu, entre suas redes, uma imagem da Senhora da Conceição, primeiro o corpo, em seguida a cabeça. A senhora “aparecida” vem e planta a esperança nos corações, daqueles que seriam os precursores de sua devoção. Após o encontro da imagem, a pesca que parecia impossível, transformou-se em uma pesca farta. O milagre dos peixes marcava o inicio da grande fé em volta da Virgem Aparecida, e que hoje perpassa todo o país e além-fronteiras.

Momento da Homilia (Foto: Washington Fernandes)

HOMILIA

“Estamos celebrando com muita alegria, com fé e devoção a solenidade de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, nestes 300 anos de graças a bênçãos. Rezemos em comunhão com o Santuário em São Paulo, onde milhares de devotos e fiéis acorreram aquele lugar, quando há 300 anos começava essa devoção, com este sinal da aparição da Virgem Maria, nas margens do rio Paraíba quando aqueles três pescadores que já tinham passado noites inteiras tentando pescar e não tinham sucesso, mas aquela que vinha para despertar no povo brasileiro e em todos um de nós, esse desejo ardente de seguir Nosso Senhor e que com a aparição de Maria, tiveram um sinal de esperança”, disse Pe. Cláudio.

Sobre a realidade em que se encontrava o Brasil, Maria quis aparecer ao seu povo, e hoje, quer aparecer novamente para livrar seu povo. “Como o povo brasileiro estava sofrendo, como o povo estava escravizado com sistemas que não condizem com a vontade de Jesus. Há 300 anos, Nossa Senhora quer de novo aparecer porque muitos ainda se encontram nesta situação. O nosso Brasil que vem enfrentando estes momentos difíceis e Nossa Senhora vem como esta esperança para o povo. Não podemos perdê-la”, completou.

 

TE COROAMOS, Ó MÃE!

Após a celebração, no patamar da igreja, os fiéis se reuniram para assistir a coroação de Nossa Senhora Aparecida. Momento de uma fé fervorosa a Mãe de Deus, a coroação é a forma de o povo mostrar o amor e o respeito pela aquela que trouxe ao mundo o Salvador, e que intercede a ele por cada um dos seus filhos.

A coroação, contou com inúmeras encenações que deram ênfase a importantes momentos da história da devoção a Virgem da Conceição, desde o aparecimento da imagem as margens do rio Paraíba, passando pelo inicio da devoção e os milagres alcançados por intermédio de Maria.

Encenação dos momentos históricos da devoção a Virgem da Conceição (foto: Washington Fernandes)

Durante a encenação a emoção dos que estavam presentes foi facilmente percebida pelos olhos que brilhavam em cada cena acompanhada pelas lágrimas que rolavam em seus rostos, enquanto entoaram em uma só voz o refrão: “te coroamos ó Mãe, Nossa Rainha!”.

O encerramento da solenidade foi marcado pela consagração a Nossa Senhora Aparecida, oração feita pelo Papa Francisco, em sua vinda ao Brasil em 2013 e pela música Ave Maria Sertaneja, de Luís Gonzaga.

 

Consagração do Papa Francisco a Nossa Senhora Aparecida

Ó Maria Santíssima, pelos méritos de Nosso Senhor Jesus Cristo, em vossa querida imagem de Aparecida, espalhais inúmeros benefícios sobre todo o Brasil.

Eu, embora indigno de pertencer ao número de vossos filhos e filhas, mas cheio do desejo de participar dos benefícios de vossa misericórdia, prostrado a vossos pés,

consagro-vos o meu entendimento, para que sempre pense no amor que mereceis;

consagro-vos a minha língua para que sempre vos louve e propague a vossa devoção; consagro-vos o meu coração, para que, depois de Deus, vos ame sobre todas as coisas.

Recebei-me, o Rainha incomparável, vós que o Cristo crucificado deu-nos por Mãe, no ditoso número de vossos filhos e filhas; acolhei-me debaixo de vossa proteção; socorrei-me em todas as minhas necessidades, espirituais e temporais, sobretudo na hora de minha morte.

Abençoai-me, o celestial cooperadora, e com vossa poderosa intercessão, fortalecei-me em minha fraqueza, a fim de que, servindo-vos fielmente nesta vida, possa louvar-vos, amar-vos e dar-vos graças no céu, por toda eternidade.

Assim seja!

Autora: Mychelle Santos

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *