Dom “andarilho” conclui a agenda de visita aos padres da diocese de Crato

Noticias da Igreja

De acordo com a agenda faltava apenas uma paróquia à ser visitada e ela estava localizada a 189 quilômetros da sede da diocese, o município de Crato, mais ou menos a duas horas de viagem. A Paróquia era dedicada a São Francisco de Assis, que tem como pároco o padre José Vicente dos Santos.

Dom andarilho, como foi definido em uma hashtag dom Gilberto Pastana em uma rede social da diocese de Crato, devido sua rotina incansável de pastoreio desde que iniciou sua missão como bispo coadjutor de dom Fernando Panico, começou a visitar os padres e ter o primeiro contato com cada uma das 56 paróquias da região diocesana, desde o mês de agosto. Estão sendo quatro meses onde os laços entre o pai (bispo) e os filhos (padres), estão sendo estreitados com cuidado, zelo e amor.

A noite, dom Pastana presidiu a celebração do Crisma na Paróquia São Francisco de Assis. (Foto: Patrícia Silva)

A noite, dom Pastana presidiu a celebração do Crisma na Paróquia São Francisco de Assis. (Foto: Patrícia Silva)

Em uma das primeiras visitas, realizada no distrito de Jamacaru, em 26 de agosto, ele afirmou que este momento estava enriquecendo sua vida como pastor e que esta ação é importante, pois “é necessário conhecer o nome, a história, os sonhos, as aspirações, os desejos, as dificuldades” de cada padre. E o resultado destes quatro meses de intensa missão? Isso o próprio dom andarilho falará para nós:

“Eu estou muito feliz. Saio satisfeito por saber e constatar que todos os padres estão felizes no ministério e estão também esperançosos de avançar na ação evangelizadora na sua paróquia e na diocese. Encontrei todos com uma disponibilidade muito grande, inclusive para os serviços diocesanos, caso seja necessário”, disse.

Se o objetivo das visitas era conhecer in loco as paróquias e os padres, a situação deles com suas condições de trabalho e de vida, dom Pastana também teve sensibilidade aos problemas. “Uma ou outra área ainda carece sobretudo de uma estrutura, de elementos para ajudar na ação evangelizadora e, algumas áreas, cerca de quatro ou cinco, são economicamente deficientes, quase não tem condições nem de manter o seu sacerdote, o seu pároco. Esta é uma realidade que vamos ter que pensar a nível de diocese para ver como ajudar mais, sobretudo a essas áreas”, falou.

Dom Gilberto com o padre José Vicente. (Foto: Patrícia Silva)

Dom Gilberto com o padre José Vicente. (Foto: Patrícia Silva)

A visita a Salitre, que aconteceu durante o dia de hoje, 11 de dezembro, conclui o ciclo desta primeira missão. Apenas a cidade de Potengi e o pároco, padre Sebastião Bandeira, não foram visitados, pois o padre teve que afastar-se por estar recuperando-se de um procedimento cirúrgico. Quando o sacerdote retornar as atividades, dom Gilberto irá remarcar esta visita.

Dom Gilberto deve assumir a diocese de Crato, como bispo diocesano, no início de 2017, mais precisamente no dia 1º de janeiro, quando na celebração das 17h, na Catedral Nossa Senhora da Penha, Igreja mãe da diocese, dom Fernando Panico estará repassando o báculo para aquele que enquanto andarilho, estará conduzindo, pastoreando e caminhando junto ao povo.

O amor é caminhar

Com a jovialidade que carrega em seu ser, dom Gilberto vem realizando muitas atividades e conquistando os fiéis. O estar presente é uma forte marca de seu pastoreio. Na diocese de Crato já convocou reuniões com os ministérios da palavra, liturgia e caridade, participando também de encontros com pastorais e movimentos. Quando os problemas sociais da região inquietavam seu coração, ele convocou um encontro com os prefeitos eleitos dos 32 municípios que fazem parte da diocese, para dialogar sobre o plano de governo, e se era necessário provocar uma reflexão sobre as mazelas da sociedade ele o fez sem medo, como um verdadeiro profeta.

Na oportunidade, dom Pastana visitou a casa das religiosas da Congregação Santa Catarina Volpicelli. (Foto: Patrícia Silva)

Na oportunidade, dom Pastana conheceu a casa das religiosas da Congregação Santa Catarina Volpicelli. (Foto: Patrícia Silva)

Dom Gilberto vem presidindo várias celebrações de padroeiros em comunidades e paróquias e, principalmente nestes últimos dois meses, tem se dedicado a confirmar os jovens no batismo, com o sacramento do Crisma, olhando no olho do crismando, com uma linguagem que gera empatia, provocando neles o compromisso com a Igreja e a sociedade. Inclusive hoje, em Salitre, foram crismados 189 jovens, membros das 15 comunidades da paróquia.

Quando no tardar da conclusão de uma das visitas as párocos ele foi convidado para conhecer a família de um dos padres da diocese, o padre Lindoval José da Silva, que mora em Portugal e estava no mês de outubro em Barbalha, ele foi e, mesmo cansado, rezou pelo pai do padre, Francisco José da Silva, que estava enfermo, tentando consolar os familiares. Não sabia o bispo que o senhor Francisco iria falecer no dia seguinte e que aquelas palavras, inspiradas por Deus, serviriam de remédio para os familiares naquele momento de dor.

Nas paróquias, ora ele era acolhido por idosos (visita ao padre Paulo Borges, pároco da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, em Batateira, Crato, dia 27 de setembro), ou homenageado por crianças (Celebração da festa da padroeira na Capela de Nossa Senhora da Conceição, no Distrito Arajara, Crato, dia 7 de dezembro). Sempre que solicitado, durante as visitas, dom andarilho atendia os veículos de comunicação, priorizando o diálogo dentro desta nova ambiência e, se ainda assim lhe restava um espaço para ter o contato com os projetos sociais as quais os padres estão envolvidos ele ia, com constante desejo estar junto ao povo.

189 jovens foram confirmados no batismo, na visita de dom Gilberto a Salitre. (Foto: Patrícia Silva)

189 jovens foram confirmados no batismo, na visita de dom Gilberto a Salitre. (Foto: Patrícia Silva)

Suas atividades não pararam no âmbito diocesano. Após o último encontro do Conselho Episcopal Regional-CONSER, ele assumiu como bispo referencial, no regional Nordeste I da CNBB, duas comissões: a das Comunidades Eclesiais de Bases e a do Laicato.

Estão sendo meses intensos. O início de uma frutuosa missão.

E agora?

Bom, o próximo passo, segundo dom Gilberto, é reunir-se com os conselhos econômico e pastoral de cada uma das paróquias, o que conhecemos como as visitas pastorais.

“Muitas paróquias já tem o conselho praticamente organizado, embora a partir da assembleia nós orientamos para que os conselhos tivessem a mesma organização. Até maio a gente espera que todos possam se adequar a esse novo estilo, mas também tem muitas paróquias que ainda não tem nem os dois conselhos. Os conselhos são evidentemente necessários, fazem parte da vida paroquial a existência deles”, disse.

A expectativa para o início das visitas pastorais é o final do primeiro semestre. As datas ainda serão agendadas com cada pároco.

Autor: Patrícia Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *