Comemoração dos Fiéis Defuntos

Formação

Neste dia 2 de novembro, a Igreja celebra o dia dos Fiéis Defuntos ou dia de Finados imediatamente após o dia de Todos os Santos. Ambas as celebrações estão intimamente ligadas, uma vez que fazemos a memória dos que já se encontram na pátria celeste. Veneramos os santos reconhecidos oficialmente pela Igreja e pedimos a sua intercessão.

Para todos os povos da humanidade, a morte continua a ser o maior e mais profundo dos mistérios. Mas,  para os cristãos, tem o gosto da esperança. Esse é o mistério pascal de Cristo: morte e ressurreição. Ele nos garantiu que para quem crê, for batizado e seguir Seus ensinamentos, a morte é apenas a porta de entrada para desfrutar com Ele a vida eterna no Reino do Pai.

Enquanto para todos os homens a morte é a única certeza absoluta, para os cristãos ela é a primeira de duas certezas. A segunda é a ressurreição que nos leva a aceitar o fim da vida terrena com compreensão e consolo. Para nós, a morte é um passo definitivo em direção à colheita dos frutos que plantamos aqui na Terra.

A Igreja nos ensina que as almas em purificação podem ser socorridas pelas orações dos fiéis. Assim, este dia é dedicado à memória dos nossos antepassados e entes que já partiram. Encontramos a celebração da missa pelos mortos desde o século V.

Um dos mais belos Dogmas da Igreja é o da “Comunhão dos Santos”. Dessa maneira entendemos que os que estão no Céu, na feliz morada com Deus para sempre, os que se purificam no purgatório, e nós, que ainda caminhamos pelas estradas deste mundo, formamos um só corpo. Por esse motivo, podemos e devemos rezar pelos que partiram, pois nossas orações são eficazes para ajuda-los a mais rapidamente chegarem à casa definitiva do Pai.

A Igreja também possibilita, como depositária e dispensadora dos frutos da Redenção, abre maternalmente os seus santos tesouros e oferece a todos os fiéis a possibilidade de lucrarem, em favor das almas do Purgatório, uma indulgência plenária. Tudo o que devemos fazer é ir a um cemitério de nossa escolha e lá, com fé e devoção, rezar pelos defuntos. Feito isso, a Igreja, para melhor prover ao nosso bem espiritual e ao crescimento de nossa fé, exige que, no espaço de uma semana (isto é, até o dia 8 de novembro), recorramos à confissão sacramental, comunguemos e rezemos nas intenções do Sumo Pontífice. Estas três condições podem ser preenchidas em dias diversos e em qualquer ordem. Essa indulgência plenária, lembremo-nos, é aplicável somente à alma do Purgatório pela qual rezarmos; se essa alma (Deus o queira!) já houver ido para o Céu, Nosso Senhor, em sua infinita bondade e sabedoria, aplicará a indulgência à alma que desejar. Aproveitemos essa semana para ajudarmos os nossos irmãos que, mortos na fé, esperam com alegria e avidez indescritíveis ir, enfim, para o seio do Pai!

Fonte: Texto adaptado do Portal A2.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *