Home / Noticias da Igreja / Dom Pastana: “Todo encontro misericordioso com o Senhor é um encontro que gera vida”

Dom Pastana: “Todo encontro misericordioso com o Senhor é um encontro que gera vida”

Dom Pastana na procissão de entrada. (Foto: Gildervan Ferreira)

Durante a tarde deste domingo (23), dom Gilberto Pastana presidiu a celebração de encerramento da festa da Misericórdia, na Paróquia Santo Antônio- Santuário da Divina Misericórdia, em Barro- CE. A Santa Missa, que contou com a participação de centenas de fiéis, foi concelebrada pelo pároco e reitor, padre José Claudio da Silva, e o padre Francisco Gonçalves Pereira.

Refletindo a liturgia do dia, dom Pastana afirmou durante a homilia que “Todo encontro misericordioso com o senhor é um encontro que gera vida”. “Vocês concluem um tríduo orante reeflexivo que vos ajudou a se aproximarem mais do Senhor. A misericórdia do Senhor nos faz pessoas novas. Todos aqueles que são atingidos pela misericórdia do Senhor não podem permanecer estáticos. É necessário sair, comunicar, dizer ao outro a experiência vivida com o Senhor”, continuou.

Essa festa, que é celebrada anualmente, teve início dia 20 de abril e ofereceu como temática para reflexão dois versículos do evangelho de Jesus retirados do primeiro capítulo (Lc 1,49-50): “Sua Misericórdia se estende de geração em geração, pois Santo é o Seu nome”, oportunizando também a vivencia do Ano Mariano e as comemorações pelos 300 da aparição da imagem milagrosa de Nossa Senhora Aparecida, encontrada no rio Paraíba do Sul em 1717. A festa dentro deste contexto, segundo o padre Cláudio, impulsiona a comunidade à fortalecer a fé em Jesus Cristo, renovando e professando a devoção a Sua Divina Misericórdia.

Antes de iniciar a Santa Missa aconteceu a Hora Solene da Misericórdia. (Foto: Gildervam Ferreira)

A Paróquia Santo, único Santuário do Ceará dedicado a Divina Misericórdia, foi elevada a essa dignidade no dia 7 de abril de 2013. Já a instituição da festa da Misericórdia para toda a Igreja no primeiro domingo após a Páscoa, foi proclamada no Jubileu do ano 2000, por São João Paulo II.

Viver em comunidade

“Se no encontro com o Senhor eu não renovo minha vida, coloquemos em cheque este encontro”. Com esta afirmação dom Pastana instigou nos fiéis que participaram da celebração, na Igreja Matriz e através das redes sociais, a busca pelo renovação do compromisso com o anuncio do evangelho.

“Como é ruim uma vida sem significado, sem objetivos, sem esperança. Os discípulos estavam cabisbaixos, trancados em si. Como podemos ser cristãos trancados? Como podemos professar a fé fechados em nós mesmos, em nosso grupo, em nossa pastoral? Jesus é aquele que vence todo pecado, mas também todo fechamento’, falou.

No final da celebração foram abençoadas as estampas de Jesus Misericordioso. (Foto: Priscila Araújo)

O anúncio de Jesus “a paz esteja com todos vocês”, relatada no evangelho do dia (Jo 20,19-31), traz, segundo o bispo, a presença do ressuscitado que afasta todo medo, que gera alegria. “Os discípulos experimentam a misericórdia do Senhor e recebem essa misericórdia para distribuir largamente a todos aqueles que reconhecerem o seu pecado, seu distanciamento do Senhor, as mazelas da vida”, falou.

Continuando, dom Pastana recorda que o evangelista diz que Tomé não estava com os discípulos quando Jesus apareceu e por isso não acreditou quando eles o comunicaram a presença do ressuscitado entre eles. Mas aqui o bispo fez algumas indagações: “Será que não faltou fé na comunidade para transmitir aà Tomé a experiência com o ressuscitado? Será que quando a comunidade transmitiu esta mensagem à Tomé eles transmitiram com vida?”.

A estas perguntas dom Gilberto disse que talvez a dúvida de Tomé não foi só em relação a ressurreição do Senhor, mas na maneira como a comunidade comunicou a ele, e afirmou “Isso nos faz perguntar sobre a nossa maneira de evangelizar. Será que nós convencemos as pessoas de que Jesus é misericordioso? Somos, para estas pessoas, sinais da misericórdia do Senhor? A minha fé gera nas pessoas alguns questionamentos? Eu sou causa de evangelização, de conversão na vida das pessoas?”, indagou

Esta foi a primeira vez que dom Pastana esteve no Santuário como bispo diocesano. (Foto: Priscila Araújo)

Dom Gilberto ainda recordou que o cristão é aquele que vive a misericórdia do Senhor, aquele que se alimenta com a eucaristia, da fração do pão, que vive os ensinamentos dos apóstolos, que vive o que a Igreja diz na comunhão fraterna. “A consequência da misericórdia de Deus em nossa vida nos leva a viver em comunidade e uma comunidade cristã é uma comunidade orante, que escuta o que o Senhor tem a falar, tendo na eucaristia o maior sinal da misericórdia de Deus em nossa vida”, concluiu.

Fonte: Diocese de Crato

About Rodrigo martins

Check Also

Papa Francisco celebra hoje 25 anos de ordenação episcopal

O Papa Francisco celebrou os seus 25 anos de ordenação episcopal com uma Missa concelebrada ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *