Home / Nossa História / Breve Histórico da Divina Misericórdia em Barro

Breve Histórico da Divina Misericórdia em Barro

A devoção a Divina Misericórdia, em Barro – Ce, iniciou-se no ano de 2005, na Paróquia Santo Antônio, sobre o impulso pastoral do reverendíssimo Pe. Francisco Gonçalves Pereira, natural do mesmo município de Barro – Ceará – Brasil.

Inicialmente, em setembro de 1997, Pe. Francisco realizando peregrinação à países da Europa, especificamente em Londres – Inglaterra, participou da Santa Missa na Catedral da Diocese de Londres. Na mesma celebração, recebeu o “toque” à “Divina Misericórdia”, esta, revelada pelo próprio Jesus Misericordioso e relatada pela até então beata Irmã Faustina. Após o término da Santa Missa, chama-lhe atenção o encontro que teve com a estampa de Jesus Misericordioso, esta fabricada em Curitiba/Brasil, e ao verso o Terço a Divina Misericórdia. O Reverendo entendeu, portanto, como um chamado à Divina Misericórdia e resolve trazer-lá ao Brasil. Meses depois, já em solo brasileiro, peregrinando pelo estado da Bahia-Brasil, conhece a “Missa da Misericórdia”.

Ainda no mesmo ano, o Pe. Francisco Gonçalves conhece o Diário da beata Irmã Faustina e aprofundando-se na teologia da Misericórdia, corresponde ao chamado de Jesus Misericordioso. Na leitura do diário, o próprio Jesus quer que sua Misericórdia se torne conhecida para salvação das almas: “Fala ao mundo da Minha misericórdia, do meu amor”(1074). A partir de então, decide-se tornar-se mais um missionário da Divina Misericórdia.

No ano 2000, a Beata Irmã Faustina é canonizada pelo Papa João Paulo II, ganhando o título de Santa Faustina.

Em 2004, tendo consultado o bispo diocesano de Crato Dom Fernando Panico, realiza pedido ao pároco da Paróquia Santo Antônio de Barro ,Pe. Eliomar Tavares Serafim, para celebrar a “Missa da Misericórdia” de acordo com a teologia e os ensinamentos de Santa Faustina. Em 2005, após a celebração da Festa da Páscoa, inicia-se a “Missa da Misericórdia” em Barro – Ce, esta que passa a ser celebrada  votivamente todos os meses sempre aos segundos sábados.

A partir de então, através da “Missa da Misericórdia” chegava à Barro a devoção à Divina Misericórdia e a toda Diocese de Crato. Com a perseverança de Pe. Francisco que passa a ganhar o apoio dos paroquianos, a Divina Misericórdia vai-se tornando conhecida por toda região. A Igreja Matriz de Santo Antônio de Barro passa a receber peregrinações de milhares de féis de outras regiões como: de outras paróquias da Diocese de Crato, e dioceses e estados vizinhos, que também começaram a peregrinar à Barro.

Movido pelo desejo se continuar seu trabalho missionário à Divina Misericórdia, certa vez, Pe. Francisco Gonçalves, manifesta o seu desejo de construir um templo dedicado à Misericórdia ao bispo, porém, logo esse seu desejo não fora possível devido a precariedade do lugar que nada oferecia no momento para que esse sonho se realizasse. Dessa forma, esperou pela providência divina.

Em 2009, após o término do tempo previsto de permanência na Paróquia Santo Antônio, Padre Eliomar Tavares Serafim é transferido para a Paróquia Nossa Senhora dos Milagres em Milagres-Ce. Por sua vez, a Paróquia Santo Antônio do Barro recebe o Padre Arnaldo Pereira do Nascimento, como novo Administrador Paroquial.

Em 2011, a persistência do missionário o levou novamente ao bispo Dom Fernando Panico, em Crato, para mais um pedido. Como não fora possível a construção de um Templo para Divina Misericórdia na Cidade, o Padre Francisco sugeriu dessa vez ao bispo que a Igreja Matriz de Barro fosse elevada à categoria de Santuário da Divina Misericórdia. A princípio, houve muita dúvida do bispo, mas o mesmo foi convencido pela insistência do padre que após longa conversa teve seu pedido atendido. Ao chegar a Barro, o Pe. Francisco comunicou ao Padre Arnaldo a concessão de Dom Fernando. Juntos os sacerdotes, em sigilo e cumplicidade, começaram a trabalhar pelas melhorias na Matriz. Dessa forma, iniciaram os trabalhos de reforma da Igreja Matriz à Santuário ainda sem nada revelar aos paroquianos.

Em 12 de agosto de 2012, por ocasião da Celebração da Crisma, o bispo Dom Fernando Panico visita a Paróquia de Barro e anuncia aos fiéis: “a partir deste instante a Divina Misericórdia se perpetuará neste lugar, nesta Igreja, por que a mesma será dedicada a Divina Misericórdia, e os raios da Misericórdia se irradiará aos horizontes desta comunidade e por toda a Diocese” disse Dom Fernando. Jubilosos, os fiéis acolheram com grande alegria essa notícia e com muita fé abraçaram essa dádiva junto aos padres.

No mês seguinte, iniciaram as obras de forma intensiva para a construção do santuário.

Graças a dedicação dos padres e a generosidade dos fiéis, ao longo de oito meses, os trabalhos foram concluídos e a concretização do sonho do Santuário da Divina Misericórdia se torna realidade.

Em 6 de abril 2013, vésperas da Festa da Misericórdia, os católicos de Barro, recepcionaram a chegada da relíquia da primeira propagadora da Divina Misericórdia, Santa Faustina. Atualmente, sua relíquia se encontra no obelisco do altar da misericórdia, exposta publicamente para veneração dos fiéis e peregrinos que visitam o Santuário.

Por fim, no dia 07 de abril de 2013, 2º domingo da festa da Páscoa, Festa da Divina Misericórdia, coma presença de todo o clero da Diocese de Crato, autoridades civis, peregrinos de toda região e estados vizinhos juntamente com a comunidade católica de Barro, celebraram solenemente a grande liturgia, presidida pelo Exmo. Revmo. Dom Fernando Panico e concelebrada reverendíssimos Padres Arnaldo Pereira e Francisco Gonçalves, de Dedicação, Consagração do Altar e  Elevação da Igreja Matriz de Santo Antônio à categoria de Santuário Diocesano da Divina Misericórdia.

Em Barro, o Santuário da Divina Misericórdia foi 1º a ser dedicado a essa devoção no Estado do Ceará, o 5º no Brasil e 55º no Mundo.

Desde então, Barro se tornou um centro de peregrinação à Divina Misericórdia com os cuidados e zelo pastoral dos sacerdotes e da comunidade de fé.

 

About Rodrigo martins

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *